DICAS DE SAÚDE

Prezados leitores: Ressaltamos que as Dicas de Saúde publicadas por este Blog, não equivalem a uma receita médica; são apenas "dicas".

=====================================================================================

PRATIQUE MEDICINA PREVENTIVA PARA SE LIVRAR DO ALTO CUSTO DA MEDICINA CURATIVA

quarta-feira, 13 de julho de 2011

CLORETO DE MAGNÉSIO



CLORETO DE MAGNÉSIO



NO TRATAMENTO AUXILIARDE: BICO DE PAPAGAIO, NERVO SIÁTICO, CALCIFICAÇÕES,RIGIDEZ MUSCULAR, PRÓSTATA,  CÃIMBRAS, FALTA DE ATIVIDADE CEREBRAL, NA MENOPAUSA, TRATAMENTOS PROLONGADOS COM ANTICONCEPCIONAIS, FADIGA MUSCULAR E FÍSICA, ARTROSE, BURSITE ESTRESSE,

CONTRA-INDICAÇÕES:  PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL, GESTANTES, LACTANTES, CRIANÇAS,  PACIENTES COM ÚLCERAS GÁSTRICAS.

MODO DE PREPARAR:
DISSOLVER 33g  DE CLORETO DE MAGNÉSIO EM 1 LITRO DE ÁGUA FERVIDA E FILTRADA, E CONSERVAR ESTA MISTURA EM REFRIGERADOR, CONSUMINDO ATÉ 45 DIAS.
 
POSSOLOGIA (MODO DE USAR): 
 PARA NÃO PREJUDICAR O ESTÔMAGO TOME APÓS AS REFEIÇÕES: ALMOÇO E JANTA.
POR CAUSA SEU SABOR INTRAGÁVEL, DISSOLVA MEIA COLHER DE CHÁ EM MEIO COPO DE DE SUCO OU REFRIGERANTE.
 
1- ATÉ OS 50 ANOS: TOMAR UM COPINHO DOS DE CAFEZINHO DA MISTURA PELA MANHÃ (CORRESPONDENTE  A APROXIMADAMENTE 200 mg DE Mg).
2 – APÓS 50 ANOS – TOMAR UM DOS COPINHOS DE CAFEZINHO DA MISTURA PELA MANHÃ E OUTRA À NOITE (CORRESPONDENTE A APROXIMADAMENTE A 400 mg DE Mg).
QUALQUER DÚVIDA LIGUE A COBRAR: (51) 651-5109.


PRECAUÇÕES PARA OS RINS E ESÔMAGO :
PARA EVITAR CALCULO DOS RINS
Quebra pedra
Uva ursi-ursinha
Estigma de milho
Cipó de prata

ABACATEIRO – diurética, cálculos renais, rins, bexiga.
ABUTUA COCULOS – cálculos renais, cólicas uterinas, fígado.


Suplemento mineral, procedente da água do mar, do qual é deficitária a alimentação atual, por causa da purificação do sal marinho, da utilização de farinhas cada vez mais brancas, e do esgotamento do magnésio dos solos por causa dos cultivos intensivos.
Catalisa a atividade de enzimas, hormônios e vitaminas necessárias à vida, estimula as sínteses bioquímicas do organismo, age sobre o sistema simpático, freando a atividade nervosa, acelera a respiração celular, influi sobre o equilíbrio neuro-muscular, entra na formação dos dentes e ossos, regula a absorção do cálcio e potássio.
Como resultado, ele colabora para a formação e fortalecimento dos tecidos ósseos e cartilaginosos, revigorando o organismo e estimulando sua produção de defesas contra enfermidades.
Dose: de 4 a 6 gramas do produto hidratado comercial.
Preparo: 1 litro de água filtrada ou fervida, resfria-se e se coloca 20 gramas de cloreto. Guarda-se sob refrigeração. Toma-se 50 gramas (um copinho de café) em jejum durante 20 dias desta água, interrompendo 10 dias, recomeçando novamente.
Fonte: Casa Dietética - Edith F. Travi & Filhos LTDA.

Melhor com orientação médica.
O magnésio (mineral) é um nutriente importantíssimo para o organismo. Mas há a necessidade de cuidar do equilíbrio do PH - gástrico do estômago para que haja uma absorção melhorada/adequada de magnésio.
O magnésio é fundamental para o cálcio, ajuda a redistribuir e absorver o cálcio.
Dica: Dálmio Moraes - farmacêutico. Entrevista ao programa Corpore Sano. TVE Canal 7 de Porto Alegre.
Cuidado: excesso pode causar ou agravar o problema com pedras nos rins. O excesso de minerais, também da água mineral, acumula em nosso organismo que pode causar o surgimento de pedras nos rins ou outros. Na dúvida converse com seu médico de confiança antes de usar o cloreto de magnésio. O uso do cloreto de magnésio fica a critério da cada um. Este site procura falar sobre os produtos e não indicá-los, é o papel do médico cuidar desta parte.
Pesquisa: Jacques Serafini - esta pauta, esta em análise para verificar se é verídico o surgimento de pedras nos rins.

 
Magnesium (100 tabs)

R$ 17,95

Magnesium (100 tabs)


Magnésio é um mineral que está envolvido em mais de 300 reações enzimáticas no corpo. O magnésio possui um papel crucial na regulagem da atividade neuromuscular do coração, mantendo o ritmo normal, convertendo açúcar em energia, e metabolizando o cálcio e a vitamina C apropriadamente.
Se possui alguma experiência com o uso do cloreto de magnésio e queira compartilhar, envie para eu publicar aqui nesta página. Todos os visitantes agradeçem sua colaboração. e-mail.
Dicas enviadas por e-mail por visitantes:
Um remédio surpreendente - por J. Schorr *
Cloreto de Magnésio
Quem sofre de bico de papagaio, nervo ciático, coluna e calcificação podem se curar de forma perfeita, indolor, fácil e barata. E tem, ao mesmo tempo, a cura de todas as doenças causadas pela carência de cloreto de magnésio no passado, até a artrose.
Minha cura: Iniciei minha cura aos 61 anos. Dez anos antes, eu estava quase paralítico, sentia pontadas agudas na região lombar - um bico de papagaio incurável, segundo o médico. Mas reparei ser reumatismo, que curei com Ketacil, esquecendo-me, então, do bico de papagaio que antes já provocava um peso crescente na barriga da perna direita. Após cinco anos, o peso virou dor e, apesar de todos os tratamentos, só aumentava. Dois anos depois atinei com a causa: mal me levantava da cama um formigamento descia pela perna até os pés. Ao abaixar-me, o formigamento cessava; erguia-me ele voltava. Repeti as duas posições. Deduzi que só poderia ser aquele bico de papagaio, que apertava o nervo ciático na terceira vértebra, quando em pé; curvando-me, lhe dava folga. Fiz então meus trabalhos, o mais possível sentado. Havia anos que fazia tudo sentado, menos a missa, o que era um tormento. E adiava a viagem à ilha de Marajó, onde devia completar a rede de rádio-telefonia de 48 estações em 6 Estados. Após seis meses, viajei, esperando melhorar naquele eterno verão.
Mas piorou de vez. Rezava a missa sentado e sentado orientava meus ajudantes a montar os mastros e esticar as antenas por cima dos telhados. Sem tardar, voltei a Florianópolis com novas radiografias e procurei um especialista. Agora já era um bando de bicos de papagaios, calcificados, duros em grau avançado. Nada se poderia fazer. As dez aplicações de ondas curtas e distensões da coluna não detiveram a dor, a ponto de nem mais deitado eu poder dormir. Ficava sentado, até quase cair da cadeira, de tanto sono. Foi quando atinei que podia dormir enrolado ou sentado para fugir da dor. E então? Assim, desenganado, apelei ao bom Deus. "Estás vendo a tua criatura"?
Não lhe custava dar um jeitinho...
Providencialmente, fui ao Encontro dos Jesuítas Cientistas, em Porto Alegre, e o Padre Suarez me disse ser fácil à cura com cloreto de magnésio, mostrando-me o pequeno livro do Padre Puig, jesuíta espanhol que descobriu o uso do cloreto de magnésio: sua mão era dura de tão calcificada, mas, com este sal, ficou móvel como a de uma menina; o mesmo aconteceu com parentes seu. E brincando, ele disse: "Com este sal só se morre dando um tiro na cabeça ou por acidente". Em Florianópolis, logo comecei a tomar uma dose pela manhã e uma à noite; mesmo assim continuei dormindo encolhido até o 20º dia; naquela manhã, porém, acordei estirado na casa, sem dor. Mas caminhar ainda era um sofrimento. Depois de 30 dias, eu me levantei sentindo-me estranho: "Será que estou sonhando? Nada mais me doía! Dei até uma voltinha pela cidade, sentindo, contudo, o peso de 10 anos antes. Aos 40 dias caminhei o dia inteiro sentindo menos peso; três meses depois minha flexibilidade aumentava. Dez meses já se passaram e me dobro quase como uma cobra".
Outros efeitos: O cloreto de magnésio arranca o cálcio dos lugares indevidos e o fixa solidamente nos ossos. Ainda mais: minha pulsação que sempre estava abaixo de 40 - eu já pensava em marca passo - normalizou-se. O sistema nervoso ficou motorialmente calmo, ganhei maior lucidez, meu sangue estava descalcificado e fluido. As freqüentes pontadas do fígado desapareceram. A próstata, que eu deveria operar assim que tivesse uma folga nos trabalhos, já não me incomoda muito. Houve ainda outros efeitos, a ponto de várias pessoas me perguntarem: "O que está acontecendo com você?" Está mais jovem!
"É isso mesmo". Voltou-me a alegria de viver. Por isso, me vejo na obrigação de repartir o "jeitinho" que o bom Deus me deu. Centenas se curaram em Santa Catarina depois de anos de sofrimento com males da coluna, artrose etc.
Importância do cloreto de magnésio: O cloreto de magnésio produz o equilíbrio mineral, anima os órgãos em suas funções (catalisadoras), como os rins, para eliminar o ácido úrico nas artroses; descalcifica até as finas membranas nas articulações e as escleroses calcificadas, evitando enfartes; purificando o sangue vitaliza o cérebro, desenvolve ou conserva a juventude até alta idade. O cloreto de magnésio é, de todos os sais, o menos dispensável, como o professor na aula.
Uso: após os 40 anos, o organismo absorve sempre menos cloreto de magnésio, produzindo velhice e doenças. Por isso deve ser tomado conforme a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite.
Atenção: Para quem vive na cidade e ingere alimentos de baixa qualidade (refinados e enlatados) recomenda-se uma dose um pouco maior, e para pessoas do campo um pouco menos. O cloreto de magnésio não cria hábito, mas ao deixá-lo perde-se a proteção. Com o uso do cloreto de magnésio há tendência à eliminação das doenças e uma diminuição significativa do desgaste natural.
Só não se deixe levar pelo comodismo, até que uma doença se instale; porque viver com dores e mal estar se é possível gozar de uma saúde radiante?
O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. E não tem contra-indicação. É compatível com qualquer medicamento simultâneo. O adulto precisaria obter dos alimentos o equivalente a três doses; se não conseguir, pode aumentar um pouco a dose diária para não adoecer; dificilmente se ultrapassa o limite, pois as doses indicadas para pessoas de 40 a 100 anos são mínimas.
O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo e é indicado para homens e mulheres. No caso das mulheres ele ajuda a prevenir osteoporose.
Recomendações: Quem sofre de bico de papagaio, obesidade, nervo ciático, coluna, arteriosclerose, rins, calcificação, surdez por calcificação, deve iniciar o tratamento com uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite.
Quando curado, deve-se tomar o cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade.
Artrose: o ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, em particular nos dedos, que até incham. Isso resulta de uma falha no funcionamento dos rins, justamente por falta do cloreto de magnésio. Tenha cautela: se um rim talvez já esteja se deteriorando, tome apenas uma dose pela manhã. Se em 20 dias não sentir melhoras e não cessar a anormalidade, tome uma dose pela manhã e uma dose à noite. Depois de curado, continue com as doses normais, como preventivo.
Próstata: aqui vou citar um exemplo. Um homem muito idoso já não conseguia urinar. Algum tempo antes da operação, lhe deram cloreto de magnésio como preparação, e ele começou a melhorar. Depois de uma semana sentia-se bem, e a operação foi cancelada. Há casos em que a próstata regride, às vezes, ao normal, tomando-se 2 doses pela manhã, duas doses à tarde, duas doses à noite. Ao melhorar, tome a dose preventiva.
Outros problemas: como reumatismo, rigidez muscular, impotência sexual, câimbras, tremores, frigidez, artérias duras, falta de atividade cerebral, sistema nervoso: uma dose pela manhã, uma dose à tarde, uma dose à noite. Sentindo-se melhor, passar para a dose preventiva.
Preparo: como preparar e usar a solução de cloreto de magnésio: dissolver 33 gramas de cloreto de magnésio (essa dosagem já está à venda, em farmácias - em 2004 custava 1,20) em 1 litro de água filtrada (melhor fervida). Depois de bem misturado, colocar em vasilhames de vidro (não de plástico) e guardar na geladeira. A dose é um cálice de licor segundo a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos, aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite.
Onde encontrar: em farmácias de produtos naturais ou mesmo nas alopáticas.
*J. Shorr é padre, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina.
Dedicado ao AMIGO Beno Schor
O nome do Padre é Beno Schor, era um dos Jesuítas do Colégio Catarinense em Florianópolis, lecionava Química, Física e Biologia. Pesquisando sobre sua doença, descobriu que todos os seus males era falta do cloreto de magnésio.
Se vc procurar no google (cloreto de magnésio) irá encontrar relatos de sua história.
Conheci o Padre Schor, ele curou-se com o cloreto de magnésio, viveu anos, estava lendo este site e como este mundo é muito pequeno, este Padre foi capelão do hospital que eu trabalho, ele morreu na segunda quinzena de maio de 2005, este ano, eu havia encontrado ele na cidade andando sozinho no centro no meio de tanta gente e fiquei admirada, aos 93 anos, ele andava alegre e distraído, uma semana depois soube que morreu, seu coração parou.
Ele apagou como uma vela ao vento, pois ajudou tanta gente, divulgando sua cura pelo cloreto de magnésio, e Deus foi também caridoso com ele.
Cléia Espindola (enviado por e-mail) - Publicação junho/2005.
Coluna vertebral.
Prezados senhores;

Navegando pela Internet em busca de Cloreto de Magnésio, mas numa forma mais fácil de ingeri-lo, que não fosse a solução com água
(que é muito amargosa), deparei-me com este site (PlantasErvas).

Há muitos anos, talvez quase 20, uma amiga deu-me o artigo do Padre Schorr para ler e como eu estava "desesperada" por limitações de movimentos em razão de lesões na coluna vertebral, não hesitei em tomá-lo. Na verdade, não tinha muita esperança. Já havia feito tratamentos médicos e o problema não se resolvia. Estava com 40 anos de idade.

Passados alguns dias, talvez umas três semanas, comecei a sentir melhoras. Já conseguia sair da cama sem ser agachada, podia ficar deitada sem ter tantas dores, levantar os braços acima da cabeça, enfim, fazer movimentos antes muito dolorosos.

Como havia melhorado muito, parei de tomá-lo.

Algum tempo depois, os problemas retornaram.

Reiniciei, então, o tratamento e o faço até hoje. Tomo uma dose de Cloreto de Magnésio, sempre, pela manhã e, algumas vezes, à tarde.

Nunca mais tive problemas de dores lombares, posso executar tarefas domésticas, enfim, levo uma vida normal, sem dores e fazendo coisas que pessoas mais jovens queixam-se de não poder realizá-las.

Não sei se por extensão ou "acaso", minhas funções intestinais se regularizaram, não tive mais cólicas renais
(que eram muito freqüentes) e talvez tenha obtido outros benefícios que nem percebo.

Nesses anos todos, venho tentando divulgar o bem que este medicamento me fez a todos que se queixam dos mesmos problemas. No entanto, as pessoas não persistem, porque acham "ruim" ingeri-lo na forma líquida.

Atenciosamente: Gilce Alam - Pelotas/RS
Publicação: novembro/2005.
(Não conheço ainda uma forma agradável de usar o cloreto; talvez misturado com suco - Jacques Serafini)
Angioplastia / Artrose
O que tenho a dizer é que o Padre Schor foi um ser iluminado.
Lí o artigo que nos legou. Estou fazendo uso desse surpreendente remédio há exatos 10 dias! Tenho 47 anos e me submetí a uma angioplastia há 02 anos. Agora, minha PA está girando em torno de 12/07/11/07. As dores que remanescem, estão desaparecendo.
Um amigo de 72 anos, por indicação minha, está há apenas 07 dias também dele fazendo uso, por causa de artrose. Estava quase entrevado. Agora, já se sente muitíssimo melhor.
Deve-se fazer um movimento junto ao meio médico no sentido de provar, cientificamente, o poder de cura do cloreto de magnésio, a fim de que a sociedade não o veja com preconceito, e toda ela, possa dele se beneficiar.
Que o bom Deus dê ao Padre Schor o reino da glória.
Atenciosamente: Bento Luiz Silva
Publicação: novembreo/2005.
Encontra-se em farmácias o Cloreto de Magnésio (o modo de usar impresso na embalagem).
Obrigado às pessoas que enviam reportagem ou relatos; apliquei em meu avô o cloreto para a melhora da próstata. Obrigado ao Padre Shorr por ter realizado a experiência com sucesso e poder transmitir para as pessoas que também sofrem. Aguardo teu relato visitante, para ser publicado nesta página. Jacques Serafini.
NITRATO DE PRATA: O Nitrato de Prata apresenta propiedade cáustica( capacidade  de queimar, carbonizar  e cauterizar o tecido ) adstringente (contrae os tecidos,  combatendo  diversas moléstias inflamatórias), e anti-séptica (desinfetante), sendo usado como cicatrizante e cauterizante de ferimentos e verrugas.
MODO DE USAR:  Em aplicações locais 2 a 3 vezes ao dia.  Ou conforme indicação médica. MOLHE E ENCOSTE NO LOCAL (FERIMENTO OU VERRUGA). SE DOER RETIRE, E DEPOIS COLOQUE NOVAMENTE. QUANDO DOE É PORQUE O NITRATO ESTÁ AGINDO. TENTE SUPORTAR, NÃO É TÃO DIFÍCIL.  FAÇA ISSO POR 5 MINUTOS, 3 VEZES AO DIA.

PRECAUÇÕES: 
NÃO APERTE MUITO, PARA NÃO CONTRAI EM EXCESSO O TECIDO, NEM PASSE DE 5 MINUTOS POIS ISSO PODE ACARRETAR INFECÇÃO EMBAIXO DO FERIMENTO. SE ISSO OCORRER TEM DE TOMAR ANTIBIÓTICO.
Evitar contatos com os olhos, caso isso ocorra, lavar com água abundante e procurar um médico.                       

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Senhores.
    Tenho 60 anos.
    Não compreendi direito o "modo de usar" dessa medicação. Dissolvi 50g de Cloreto de Magnésio em 1 litro de água. Como devo tomá-la? Três vezes ao dia após as refeições? Pela manhã (cedo) e, em jejum com 2 copinhos?
    Por favor, informem a maneira correta de usá-la.
    Odair Campos

    ResponderExcluir
  3. Tomar 1 copinho de café em jejum. VERIFIQUE COM UM MÉDICO antes e apos o uso do cloreto, assim vc saberá se fez bem ou se fez algum mal.

    Eu tomaria a noite, pois acho qe durante o sono o corpo se cura melhor. Assim como tomo vitamina antes de deitar.

    As outras indicações de uso vc deve avaliar e verificar sintomas se ocorrerem, pois as pessoas as vezes aumentam as doses ae vc deve ficar atento a alguma reação ou fazer um exame apos um tempo para verificar se houve algo de anormal..
    Parecido com o remédio da babosa, onde alguns toma a mais que outros.

    ResponderExcluir